terça-feira, 15 de agosto de 2017

O Coral da Ordenação de 15 de agosto de 1981

Não deixando de mão suas tradições culturais, chamou atenção o Coral organizado para a Ordenação Episcopal de Dom Lino Vombömmel, em 15 de agosto de 1981. Sob a batuta de Frei João Schwieters, OFM, o animado grupo estava vestido “à rigor”, no espírito franciscano do então novo Bispo Auxiliar de Santarém.



Sobre a prostituição no Rio Tapajós (Fordlândia) em 1930

Com a efetivação da Companhia Ford na região do Rio Tapajós, surgiram inúmeros desafios e problemas. Um deles foi o comércio em torno da prostituição feminina que foi combatida, até mesmo com humor, conforme podemos ver nesta charge publicada em 06 de setembro de 1930, no Rio de Janeiro.


Dom Lino – 10 anos de saudade – A Benção Episcopal

Hoje, dia 15 de agosto, fazemos memória da PRIMEIRA Ordenação Episcopal acontecida em terras tapajônicas, em 1981. Dom Lino Vombömmel ao lado dos bispos concelebrantes, dando sua primeira benção episcopal ao povo de Santarém. Fotografia cedida pela família de Dom Lino e que fará parte da obra com o título provisório de “Felizes os olhos que veem!”, que aguarda publicação.


Dom Lino – 10 anos de saudade – Celebração Eucarística

Hoje, dia 15 de agosto, fazemos memória da PRIMEIRA Ordenação Episcopal acontecida em terras tapajônicas, em 1981. Dom Lino Vombömmel ao lado do primeiro padre diocesano fruto do Seminário São Pio X, padre Valdir Soares Serra, na missa da Ordenação Episcopal, que aconteceu no anfiteatro Joaquim Toscano, na Praça de São Sebastião. Fotografia cedida pela família de Dom Lino e que fará parte da obra com o título provisório de “Felizes os olhos que veem!”, que aguarda publicação.


Dom Lino – 10 anos de saudade – Entrega do báculo

Hoje, dia 15 de agosto, fazemos memória da PRIMEIRA Ordenação Episcopal acontecida em terras tapajônicas, em 1981. Dom Lino Vombömmel recebe o báculo, símbolo do pastor. O báculo da Ordenação foi feito por um artista local (Roque Lima) e se encontra hoje em exposição no Museu de Arte Sacra. Fotografia cedida pela família de Dom Lino e que fará parte da obra com o título provisório de “Felizes os olhos que veem!”, que aguarda publicação.


Dom Lino – 10 anos de saudade – Momento da unção

Hoje, dia 15 de agosto, fazemos memória da PRIMEIRA Ordenação Episcopal acontecida em terras tapajônicas, em 1981. Dom Lino Vombömmel que recebe a sagrada unção em sua cabeça, pelas mãos de Dom Carmine Rocco, tendo ao seu lado Dom Alberto Ramos e Dom Tiago Ryan. Fotografia cedida pela família de Dom Lino e que fará parte da obra com o título provisório de “Felizes os olhos que veem!”, que aguarda publicação.


Dom Lino – 10 anos de saudade – Imposição das mãos

Hoje, dia 15 de agosto, fazemos memória da PRIMEIRA Ordenação Episcopal acontecida em terras tapajônicas, no ano de 1981. Dom Lino Vombömmel recebe o terceiro grau da Ordem pela imposição das mãos de diversos bispos presentes, sendo o principal deles o Núncio Apostólico, Dom Carmine Rocco (ao lado Dom Tiago Ryan). Fotografia cedida pela família de Dom Lino e que fará parte da obra com o título provisório de “Felizes os olhos que veem!”, que aguarda publicação.


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Despesas com a epidemia do Cólera no Baixo Amazonas – 1855

Abaixo, fazemos a síntese das despesas do Governo da Província do Grão-Pará com a epidemia de “colera morbus”, no período de maio de 1855 a fevereiro de 1856, quando reinou uma das mais temidas epidemias ocorridas na Amazônia.


Sobre o São Francisco Esporte Clube de Monte Alegre – 1946

Há em Monte Alegre uma entidade desportiva, o São Francisco Esporte Clube que, dia a dia, se impõe ao conceito e à crescente admiração que conquistou no seio da população local.
Fundado há alguns anos, o São Francisco Esporte Clube tem por escopo não somente a prática das atividades desportivas em geral, mas também, e principalmente, o exercício de todas as realizações de caráter beneficente e filantrópico, assim como a prática e o desenvolvimento dos máximos sentimentos cívicos no espírito da população montealegrense.

Abertura de uma Estrada para os Campos Gerais da Guiana Brasileira – 1892

Em execução à Lei decretada pelo Congresso, o ilustre patriota que dirige os destinos deste Estado, resolveu mandar abrir estradas que comuniquem o litoral do rio-mar com os belos e grandes Campos Gerais.
Dentro de alguns dias, ao que nos consta, deve partir a comissão que vai tornar em realidade um dos mais importantes problemas ultimamente agitados.
É fora de contestação a importância do serviço que se vai iniciar e que, sendo de grande benefício para aquela região, é de imenso alcance para o Estado.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Vista da Santarém-Cuiabá em 1980

Há 37 anos atrás, um dos meios de transportes mais vistos por quem trafegava a rodovia BR 163, Santarém-Cuiabá, era o famoso pau-de-arara, como este, visto nesta foto de 1980. Naquele ano, o trecho entre Santarém e Rurópolis (cerca de 220 quilômetros) era percorrido em não menos de OITO horas de viagem.


Fórum de Santarém em fins da década de 1970

Com o crescimento urbano de Santarém, na década de 1970, houve a necessidade de se construir um novo prédio para o funcionamento da Justiça, no município. Inaugurado em 24 de outubro de 1976, o prédio do Fórum desembargador Adolfo de Vasconcelos Chaves foi construído pela Secretaria de Viação e Obras Públicas ao custo de Cr$ 4.384.291,00. Esta foto foi tirada pouco depois de sua inauguração mostrando o prédio em suas linhas originais.


quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Uma descrição do Município e Freguesia (Paróquia) de Itaituba – 1884

Situada à margem esquerda do rio Tapajós, cerca de 27 quilômetros abaixo da última cachoeira deste rio e a 314 da sede da Comarca (Santarém). Clima regular, 08 ruas, 50 casas, algumas de palha, escolas, 01 praça, igreja, cemitério, coletorias geral e provincial, agência do correio, 10 casas de negócio na Vila, um engenho de cana movido a animais.

Sobre a Biblioteca Municipal de Santarém – 1931

A propósito da circular do sr. Prefeito Ildefonso Almeida, dirigida a várias pessoas solicitando remessas de livros para a nascente Biblioteca Pública, recém-criada pela administração atual, recebeu s. exa. do venerando jurista desembargador Augusto Borborema, ilustre membro do Tribunal Superior de Justiça do Pará, a seguinte carta: 

Sobre o teatrólogo e literato obidense Benjamim Lima – 1949

Já decorreu um ano que a morte conduziu Benjamim Lima para o seio do Nada, no entanto a sua memória luminosa continua bem viva no coração de todos aquele que admiravam a sua pujante inteligência e inata propensão para a arte de escrever.
Benjamim Lima nasceu em Óbidos, Estado do Pará, a 27 de novembro de 1885, sendo filho de João Francisco de Araújo Lima e Maria Amélia Mendonça de Araújo Lima.

Edital sobre a pesca de tartarugas emitida pela Capitania dos Portos em Santarém – 1933

De conformidade com os artigos 58 e 94 do Regimento que baixou com os Decretos números 16.183 e 16.184, de 25 de outubro de 1923, aprovados pelo Congresso Nacional em 28 de dezembro de 1923, fica proibida a pesca da espécie Testudos (tartaruga, tracajá, cambéua ou pitiú) durante a época da desova, que se verifica de 15 de agosto a 15 de novembro.
Agência da Capitania dos Portos do Estado do Pará em Santarém, 28 de julho de 1933.

Manoel Portilho Bentes – Agente 

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

ARTIGO: Sobre as origens históricas do Município de Aveiro

Pe. Sidney Augusto Canto

Depois da expulsão dos Jesuítas, o rio Tapajós não foi esquecido pelos governantes do Estado do Grão-Pará. Um lugar antigamente conhecido como Taparajó-Tapera, situado em um terreno alto e plano foi escolhido pelo Governador José de Nápoles Tello de Menezes, para um novo projeto de colonização.
Este Governador incentivou a criação de pequenas indústrias e diversas agriculturas. Por isso mesmo, incentivou que cerca de 200 colonos fossem habitar as margens do rio Tapajós, transformando o antigo povoado de Taparajó-Tapera no Lugar ainda hoje denominado de Aveiro, como se pode ver no próprio documento de criação, que tem o seguinte teor:

O Ministro do Trabalho, o Interventor e os alunos de Fordlândia – 1931

Em 1931, o Ministro do Trabalho, Lindolfo Collor (avô do ex-presidente Fernando Collor) acompanhado de diversas outras autoridades, entre os quais o Interventor do Pará, Magalhães Barata, visitou Fordlândia (estendendo a viagem até Aveiro). Entre os vários instantâneos deste dia, publicamos aqui o que foi feito com os alunos da Escola de Fordlândia, fundada naquele ano. Ao centro da foto, o Ministro do Trabalho (de branco), tendo ao seu lado, em uniforme militar, Magalhães Barata.


Mercado da Vila Arigó, em Santarém – 1977

Desde a construção do primeiro mercado municipal, no final do século XIX a cidade foi se expandindo e a necessidade de se construir novos mercados se fez sentir. Um deles é o Mercado da Vila Arigó, construído em meados da década de 1970. Tinha esse aspecto quando fotografado em 1977.


terça-feira, 8 de agosto de 2017

De Fordlândia, expulsaram criminosos e inocentes (Sobre a revolta de 1930 – Parte 02)


Indagando-se sorrateiramente de algumas pessoas que voltaram da Fordlândia, contrariados com os últimos acontecimentos dali, sabe-se que a estupidez foi a causa motriz de tudo.
Entre a gente que ali se encontra, há homens que, embora humildes e sem trato algum que os recomende, são, por índole, sensatos e cumpridores dos seus deveres; e há a escória. Esta classe nunca é composta de caboclos dos sítios e nem de matutos sertanejos, e sim de marinheiros e soldados insubordinados, desertores, empregados infiéis de reputação reconhecida, agentes de jogos e contrabandistas, capangas profissionais, foragidos das casas de correção e dos seus próprios lares, e outros inimigos da sociedade.
E todos têm cara de gente.